Publicado por: sosortomolecular | 18 de Junho de 2009

Homeopatia e Sustentabilidade

Homeopatia e sustentabilidade

Moises Chencinski

“Se o médico perceber com clareza o que há para ser curado nas doenças, quer dizer, em cada caso patológico individual (conhecimento da doença, indicação); se ele perceber claramente o que há de curativo nos medicamentos, isto é, em cada medicamento em particular (conhecimento do poder medicinal); se souber como adaptar, conforme princípios perfeitamente definidos, o que há de curativo nos medicamentos ao que descobriu de indubitavelmente mórbido no doente de modo que obtenha seu restabelecimento; se souber, também, adaptar convenientemente o medicamento mais apropriado segundo seu modo de ação ao caso que se lhe apresenta (eleição do remédio, indicação do medicamento), assim como o modo exato de preparo e quantidade necessária (dose apropriada), e o período conveniente de repetição da dose; se, finalmente, conhece os obstáculos para o restabelecimento em cada caso e for hábil para removê-los, de modo tal que o restabelecimento seja permanente: então ele terá compreendido a forma racional de curar e será um verdadeiro praticante da arte de curar”.

 Esse é o 3º parágrafo do livro “Organon: a arte de curar” que representa a base da filosofia homeopática. Como se vê, nada de muito absurdo, nada de tão revolucionário, nada de tão inimaginável para qualquer profissional da área de saúde, especialmente os médicos.

 O tratamento homeopático pouco mudou desde sua criação por Samuel Hahnemann em 1790. O foco continua sendo o ser único, individualizado, na sua totalidade, em sua busca do equilíbrio holístico.

 O paciente vem ao médico com uma queixa. O médico analisa essa queixa dentro de um contexto global do paciente, avalia-o clinicamente, pede exames e outras opiniões de especialistas (se julgar necessário) e receita um tratamento amplo, incluindo uma parte medicamentosa. O paciente melhora, ou até se cura. Isso é ou não é uma medicina baseada em evidências?

Então, qual a razão para tanta controvérsia, para tanta discussão a respeito da validade do tratamento homeopático?

Acredito que uma das principais questões de atrito seja o medicamento homeopático que é receitado após uma consulta médica específica. Sendo assim, ele é único, para aquele quadro e para aquele momento (o simillimum). Assim, o medicamento precisa ser manipulado por profissional farmacêutico habilitado a fabricá-lo, estocá-lo e dispensá-lo de forma adequada e que esteja apto a prestar os esclarecimentos necessários.

O medicamento homeopático pode ser feito de plantas, animais, minerais. Ele é muito diluído e, desta forma, não vai fazer mal ao doente nem afetar o equilíbrio da natureza. Além de diluído ele é energizado (sucussionado). Isto quer dizer agitado, batido.

Pega-se uma parte do remédio (exemplo – Mercurius ou outro). Dilui-se uma parte do remédio em 99 partes de álcool e se “bate” (sucussiona) 100 vezes. Este é o 1 CH (Centesimal Hahnemanniana). Pega-se uma parte desta solução e dilui-se em mais 99 partes de álcool, bate-se mais 100 vezes e este é o 2 CH. Assim vai, até chegar o CH que queremos receitar. A isto chamamos potência do remédio. Há outras formas de potências de medicamentos homeopáticos (LM, D, FC, por exemplo), mas todas são preparadas sob o conceito de diluição (ou trituração em lactose) e sucussão (o que é igual à dinamização).

O local adequado para guardar o medicamento deve ser protegido de poeira, luz, umidade e calor; protegido de cheiros fortes (cânfora – antídoto homeopático); distante de aparelhos que emitam radiações (microondas, geladeiras, computadores, eletrodomésticos, celulares, raios X, detectores de metais em bancos e aeroportos). Mantenha o medicamento homeopático distante do alcance de crianças e animais.

Ao tomar o medicamento deve-se evitar seu contato direto com as mãos. Em caso de glóbulos ou pastilhas, ponha a dose adequada na tampinha do vidro e vire na boca. Em caso de líquidos: dose única (longe das refeições – ao deitar ou em jejum de pelo menos 1 hora antes e depois do remédio) ou gotas diárias repetidas – conforme orientação médica. Você deve evitar gostos fortes na boca (pasta de dentes, balas mentoladas, cigarros, café, bebidas) ao ingerir o medicamento (15 a 30 minutos antes e depois de tomar o medicamento). Aguarde 15 a 30 minutos entre a tomada de dois medicamentos homeopáticos, sempre agitando o frasco antes de cada dose tomada.

E as bulas homeopáticas? Não existem. Não há como indicar para que serve o medicamento. O remédio é usado para quem (paciente) e não para o quê (doença). Este paciente apresenta um conjunto de sintomas, em um determinado momento, com algumas características (clima, horário, duração, intensidade, causa, etc.) que indicam, às vezes, remédios diferentes para situações aparentemente semelhantes ou remédios iguais para situações aparentemente diferentes. Os medicamentos homeopáticos podem ser usados simultaneamente com outros (até alopáticos), quando necessário.

 Assim, protegendo o indivíduo sem agredir o ecossistema, utilizando mínimas quantidades de substâncias provenientes da natureza, sem esgotá-las e não apresentando metabólitos que, uma vez de volta à natureza, não vão provocar mudanças na homeostase nem do indivíduo e nem do mundo que o cerca, o tratamento homeopático é um modelo a ser preservado e até difundido como meta para o milênio.

 

Preserve a natureza e o ser humano. Homeopatia: ontem, hoje e sempre.

 

Dr. Moises Chencinski – médico pediatra e homeopata, autor dos livros “Homeopatia – mais simples do parece” e “Gerar e Nascer – um canto de amor e aconchego”. www.doutormoises.com.br


Responses

  1. cade a matéria médica?

    • Acabei de responder
      Paulo

  2. cade a matéria medica, revisada?

    • Estou fazendo, dá um trabalhpo danado, na segunda feira levo o dinheiro do rapaz
      Paulo


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: