Publicado por: sosortomolecular | 14 de Julho de 2009

Consultas nunca duram menos de 40 minutos

Um dos diferenciais do médico ortomolecular é a abordagem. Uma consulta nunca dura menos do que 40 minutos, podendo chegar até duas horas. “É um verdadeiro inquérito”. O paciente conta como é a sua rotina? A que horas dorme, acorda, come e, principalmente, o que come. Os exames solicitados são os de sangue, que levam em conta a dosagem de vários hormônios, além dos testes tradicionais, como hemograma, glicemia, colesterol e triglicérides.

Também é pedido o mineralograma, conhecido como a análise dos fios de cabelo, que revela a presença de metais pesados que intoxicam o corpo. São elementos como chumbo, cádmio e arsênio, que se concentram no ar poluído; mercúrio, contido em alimentos cultivados com agrotóxicos; e alumínio, adicionado à água nas estações de tratamento para matar bactérias. Com os resultados, identifica exatamente o que falta e o que está sobrando no organismo.

A microempresária Ana Carolina Galvão aprova o tratamento. Por influência dos pais, é adepta da medicina ortomolecular desde os 16 anos, quando nem se falava nela. Aparenta ter muito menos que os 31 de agora e se diz muito bem disposta. Há três anos, foi estudar durante seis meses nos EUA e ganhou 10 kg. “Assim que pus os pés aqui, retomei o tratamento rapidinho. Estava gorda e com a pele horrível por causa de um problema hormonal complicado. Depois de fazer os exames e tomar as vitaminas, me senti muito melhor e fui emagrecendo sem pressa”, conta.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: