Publicado por: sosortomolecular | 8 de Agosto de 2009

As (diáteses estabelecidas por J. Ménétrier ( «Les Diathèses», Ed. Le François, Paris), 1958) pretendem reunir:

a) Tendências hereditárias

b) Comportamento psíquico

c) Perturbações organo-funcionais características

As diáteses podem, segundo Ménétrier, dividir-se em 4 grupos:

– Alérgica ( Manganês)

– Hipostênica (Manganês+Cobre)

– Distônica (Manganês+Cobalto)

– Anérgica (Manganês vita B¹² + Lítio)

Ménétrier fala ainda de um «síndrome de desadaptação», que o qual poderia constituir mais uma diátese além das 4 indicadas.

4 – Os mecanismos térmicos de auto-regulação (termoregulador natural) desempenham um papel decisivo nas terapias de N8 como a Oligoterapia, pela ligação holística que estabelece às calorias alimentares, por um lado, e às variações ambientais Quente/Frio, um binômio de energias que a medicina tradicional chinesa considera fundamental no equilíbrio energético do

ser humano.

Uma coisa são as calorias ingeridas e outra coisa é o calor ambiente.

Comer pouco, diminuir calorias (temperatura interna) , reduzir toxinas, seriam três preceitos holísticos de uso constante em profilaxia alimentar.

A ciência situa o termostato orgânico no hipotálamo – zona do cérebro encarregada de adaptar o ser humano às variações térmicas ambientais.

Muito frio ou muito calor na atmosfera, é o hipotálamo que paga.

Calorias alimentares em excesso (ou em falta) vão alterar a capacidade metabólica de eliminação e, portanto, as defesas orgânicas que derivam diretamente do metabolismo regular. Nem demais, nem de menos. Nem hiper nem hipofunção.

5 – À Oligoterapia poderia chamar-se «medicina funcional», como de fato lhe chamou J. Ménétrier, que publicou em 1955 um livro com o título « Introduction à la Médecine Fonctionnelle», Ed. Pacomhy, Paris, 1955.

De fato, no centro desta terapia típica do N8, colocam-se, não os órgãos, sintomas, afecções e lesões, mas o mundo fluido das funções/disfunções.

É sobre este binômio funções/disfunções que se baseia a terapia pelos oligoelementos catalíticos.

Binômio que faz lembrar irresistivelmente o yin/yang da medicina tradicional chinesa ou o hipo/hiper da medicina ocidental.

É de funções/ disfunções, de yin-yang, de hipo/hiper que se fala quando, por exemplo, se estabelecem as 5 diáteses de Ménétrier, já referidas.

Corrigir as disfunções do metabolismo é, pois, o âmbito de ação dos oligoelementos.

6 – Além do mais, os oligoelementos participam do sistema enzimático do organismo:

a) Coenzimas (íons metálicos)

b) Apoenzimas ( ácidos aminados)

Como enzimas que são, os oligoelementos funcionam pelo processo de catálise.

Possuindo a propriedade de acelerar a velocidade das reações metabólicas, as enzimas em geral e os oligoelementos em particular, têm a característica essencial de se manterem intactas no fim da reação.

O que aconselha um uso sempre moderado de oligoelementos.

Ativar as reações metabólicas (catabolismo ou degradação/ anabolismo ou bio-síntese)  deverá conduzir à eliminação de compostos tóxicos residuais, que não foram eliminados pela insuficiência metabólica.


Responses

  1. Olá prof.
    Achei fantástico o blog. Muito bem elaborado, de fácil navegação, e com informações super valiosas.
    Parabéns!

    • Que bom Thais
      Acredito que cada vez mais vai estar melhor e sempre atualizado
      Prof Paulo Edson


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: