Publicado por: sosortomolecular | 8 de Outubro de 2009

ESPERANÇA DE VIDA MELHOR

A esperança humana é eterna, mas nós não somos. É bem verdade que se inevitavelmente morremos, a média de idade em que isso ocorre tem aumentado progressivamente na maior parte do mundo. Se tomarmos como exemplo um monge beneditino que vivia na Inglaterra no século 14, que tinha melhor alimentação, vestuário e higiene quando comparado com a população em geral, verá que a maioria vivia na média até seus 22 anos, e olhe lá!

No século 16 a idade média das pessoas era de 30 anos, poucos viviam mais que isso, e até o começo do século 19, poucos passavam dos 37 anos. Foi no século 20 que a expectativa de vida realmente aumentou, pulando de uma média aproximada de 30 ou 40 anos para mais de 70 anos!

O desafio da ciência tem sido tanto no sentido de aumentar essa média, quanto no sentido de aumentar nosso provável limite máximo, que gira em torno dos 115 anos. Por melhor que tenha sido o avanço da medicina, por mais que tenhamos conseguido aumentar a expectativa média de vida, o limite continua inalterado.

Alguns cientistas acreditam que o envelhecimento está geneticamente programado. Do mesmo modo que uma nave espacial é projetada para, digamos chegar até marte, mas não tem instruções em seus computadores para ir adiante, fomos programados geneticamente para viver até os 85 ou 90 anos, e a partir daí o sistema biológico simplesmente entra em declínio acentuado, como uma lâmpada que já atingiu seu limite de horas programadas pelo engenheiro.

O que causa esse declínio na capacidade do corpo manter a si mesmo? Não existe até o momento nenhuma teoria que explique totalmente esse fenômeno. Na verdade somos afetados por fatores tanto do ambiente quanto biológico.

Um fator do meio ambiente que por muito tempo foi estudado é a alimentação. Alguns cientistas chegaram a afirmar que animais com dietas com poucas calorias aumentavam o tempo de vida. Isso é verdadeiro com animais de laboratório, mas a maioria dos cientistas esqueceu de divulgar ao mesmo tempo em que esses animais realmente viviam mais anos, mas com um preço altíssimo. Simplesmente paravam de se reproduzir. Por outro lado, diversas pesquisas mostram que uma dieta balanceada, rica em fibras de vegetais, frutas e legumes, realmente dificultam o aparecimento de doenças.

Outros estudos sobre envelhecimento apontam para uma possível programação genética das células. Como a vida é sinônimo de multiplicação das células, haveria um ou mais genes que ditariam exatamente por quanto tempo a célula poderia se multiplicar. Esse limite varia nas diversas espécies animais. Uma tartaruga marinha teria como limite 180 anos, uma mosca de frutas algo em torno de 100 dias, e um ser humano entre 110 e 120 anos, na média 115 anos como limite.

Algumas alterações do envelhecimento são explicadas pelas mudanças no metabolismo do homem, como a comprovada diminuição de certos transmissores químicos do sistema nervoso. Como o cérebro regula todas as funções do organismo por meio de impulsos nervosos que determinam às glândulas e tecidos como e quando funcionarem, essa diminuição desses transmissores acabaria por acelerar o envelhecimento na medida em que as glândulas agiriam de modo inadequado. Esse é um fato já bem conhecido, e a reposição de hormônios em mulheres depois da menopausa já é um fato consumado. Outros experimentos já tiveram início para ver se realmente a reposição do hormônio de crescimento auxiliaria a postergar o declínio do envelhecimento.

Há ainda a teoria de envelhecimento baseado na possibilidade de que a partir de certa idade, nosso corpo começaria a produzir proteínas que não são reconhecidas pelo próprio organismo. A partir daí, nosso sistema de defesa imunológico cumpriria suas funções programadas de defesa e atacaria essas proteínas, destruindo ao mesmo tempo as células e paralisando as funções corporais. Outra explicação alternativa seria que o sistema imunológico, ao seguir o declínio do corpo com a idade, produziria muito menos anticorpo para combater as doenças.

O que podemos fazer para aumentar nossos anos de vida? Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) podemos acrescentar entre 5 a 10 anos se tivermos uma atitude pro ativa, buscando a saúde e evitando doenças. A OMS listou 25 grandes riscos evitáveis e selecionou os 10 mais importantes a nível mundial, que são: baixo peso infantil e materno, práticas sexuais sem proteção adequada, pressão arterial elevada, uso de combustíveis sólidos em ambientes fechados, deficiência de ferro, e a obesidade e o sobrepeso. Esses fatores comprometem no mundo todo em torno de um terço dos anos de vida saudável perdidas anualmente.

Excluindo fatores típicos de populações menos favorecidas, como a deficiência de ferro ou o uso de combustíveis sólidos em ambientes fechados, observa-se que os outros fatores atingem praticamente todas as classes sociais.

Existem outros fatores que não estão listados, mas que certamente estão incluídos ainda que indiretamente. Entre esses fatores, devem ser lembradas as saúdes intestinais, a prática de atividade física regular, a evitação (JEJUM E RECOLHIMENTO ESPIRITUAL) e eliminação de tóxicos, como por exemplo, poluentes do ar, agrotóxicos alimentares, minerais pesados, radiações ionizantes, entre vários outros.

Na nossa prática TERAPÊUTICA, buscamos promover os fatores de saúde, evitar os de adoecimento e na medida do possível reparar os danos causados por esses tóxicos.


Responses

  1. if i’ve just signed up but I really would love to see a specific letter (Lorelei Lee’s) is there some place i can possibly view it or obtain a copy somehow?


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: