Publicado por: sosortomolecular | 19 de Junho de 2015

Câncer de tireóide

Câncer de tireóide tem se tornado um mal cada vez mais frequente

Um dado alarmante, mas que representa muito bem o que vem acontecendo ultimamente, é o número crescente dos casos de câncer de tireóide. As pesquisas mais recentes sugerem que esse crescimento pode ser devido ao excesso de investigação, fazendo com que haja uma maior incidência nos diagnósticos. Porém, alguns especialistas alertam que estas investigações estão gerando erros de diagnósticos de tumores inofensivos.

Para se ter uma ideia, nos Estados Unidos, de 1994 para cá,  o número de casos de câncer de tireóide dobrou, enquanto na Coréia do Sul houve um aumento em até 15 vezes nos últimos 20 anos. Neste caso, o índice se deve a uma ênfase no programa do Governo para o diagnóstico da doença.

É interessante observar que estão sendo feitos muito mais exames de ultrassom de tireoide para mapeamento do câncer, com isso aumentando também o número de diagnósticos, porém, a taxa de mortalidade se mantém baixa e/ou inalterada. Sabemos que a detecção precoce ajuda a salvar vidas, o que consequentemente fariam as taxas de mortalidade cair, fato este que não está acontecendo.

Ou seja, está se tratando mais câncer de tireóide, porém estão tratando o tipo errado, o não perigoso. Estão tratando tumores benignos que na verdade nem precisam de tratamento, pois apresentam um crescimento lento e nunca causam problemas. Cerca de 30% das pessoas morrem com pequenos tumores de tireóide, o que não significa que o problema seja a causa mortis. O tipo de tumor mais encontrado nesses casos é o câncer papilar de tireóide, tido como o menos agressivo.

Sei que, emocionalmente, não é nada fácil ouvir de seu orientador a frase “vamos acompanhar e ver o que acontece”, ainda mais quando se trata de um tumor; mas, com toda a certeza, tratá-lo pode fazer muito mais mal do que bem.

O procedimento cirúrgico e o tratamento do tumor pode levar a diversos problemas de saúde; o paciente pode ser levado a tomar hormônio de tireóide para sempre e, na pior das hipóteses, sofrer uma lesão acidental nas cordas vocais e/ou de glândulas paratireóide.

Doença na tireóide

Apesar de na verdade não aumentar o número de câncer de tireóide, por outro lado a incidência de doenças na glândula tem sido muito frequente atualmente. Entre elas está o hipotireoidismo, mais frequente em mulheres  na faixa etária de 35 a 65 anos de idade. Estima-se que uma a cada quatro mulheres apresente o problema, correspondendo a 25% de incidência.

Sinais e sintomas

Os hormônios da tireóide são os responsáveis pela regulação do metabolismo e do peso corpóreo, controlando a queima de gordura, geração de energia e de calor. Sendo assim, as alterações nestes hormônios promovem sintomas que se manifestam de diversas formas, entre elas:

  • cansaço, falta de energia
  • extremidades frias e intolerância ao frio
  • dores musculares e/ou articulares
  • depressão
  • ganho de peso
  • memória diminuída, dificuldade de concentração
  • distúrbios menstruais
  • queda de cabelo
  • pele seca, flácida e cabelo fino, quebradiço
  • constipação
  • comprometimentos da fertilidade
  • instabilidade emocional
  • bradicardia
  • aumento do LDL colesterol (ruim)
  • aumento de risco cardíaco

Caso você apresente estes sintomas, converse com o seu médico e veja quais as medidas deverão ser adotadas para o tratamento.

Fatores que podem estar causando a disfunção da tireóide

Muito se fala sobre a disfunção da tireóide, mas quase nada se comenta sobre os fatores que causadores do problema. Sendo assim, fique atento aos seguintes fatores:

  • Medicações: barbitúricos, medicações para reduzir o colesterol, drogas antiepiléticas, beta bloqueadores, esteróides e etc;
  • Dominância de estrogênio subjacente: nestes casos o problema não é somente a suplementação hormonal, mas corrigir a parte estrogênica;
  • Metais pesados (intoxicação): algo frequente e mal avaliado;
  • Consumo de soja: a soja inibe a função tireoidiana, portanto deve ser evitada.

Além disso, é preciso ter uma atenção especial ao componente emocional, pois a doença de tireóide é potencializada frequentemente por esse fator.

Pessoas quem têm uma relação desequilibrada com o tempo, ou seja, nunca têm tempo suficiente para nada, ou que estão correndo contra o tempo, acabam causando exaustão de glândula adrenal, que promove distúrbios de tireóide.

Procure entender que você pode mudar a sua relação com o tempo. E não esqueça de parar em determinados momentos do dia para admirar o céu, uma árvore, uma flor, pois isso pode ajudara mudar para melhor a sua saúde.

Referências Bibliográficas:

  • New England Journal of Medicine 2014; 371:1765-1767
  • Clinics in Geriatric Medicine, May 1995;11(2):231-238.
  • J Toxicol Environ Health, 2002;65(Part A):649-654
  • Cleveland Clinic Journal of Medicine, May-June, 1995;62(3):184-192.
  • New Zealand Medical Journal May 24, 1995, p. 318.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: