Publicado por: sosortomolecular | 3 de Novembro de 2016

NUTRACÊUTICOS NAS FUNÇÕES ARTICULARES E ÓSSEAS DO ORGANISMO

Os nutracêuticos são partes de um alimento que proporciona benefícios médicos e de saúde, incluindo a prevenção e/ou tratamento da artrose.

Tais produtos podem abranger desde os nutrientes isolados, suplementos dietéticos na forma de cápsulas e até os produtos beneficamente projetados como os produtos herbais e alimentos processados tais como cereais, sopas e bebidas.

Os principais nutracêuticos aliados no tratamento da artrose são: silício, fósforo, zinco, magnésio, cálcio, manganês, vitamina C, colágeno tipo 2 (UCII), colágeno hidrolisado, osteosil, CMM, molibdênio e os suplementos vitamínicos e minerais.

Zinco, diversos aspectos do metabolismo celular são dependentes do zinco. Aproximadamente 700 enzimas dependem do zinco para realizar reações químicas essenciais a nossa sobrevivência.

O mineral tem papel importante, por exemplo, no crescimento, na resposta imune do organismo, na função neurológica e na reprodução. É um potente antioxidante e tem um papel fundamental na reparação celular.

Além dessas funções, o zinco atua na estrutura das proteínas e membranas celulares e também está envolvido na expressão dos genes, na síntese de hormônios, principalmente o Hormônio do Crescimento – GH e na transmissão do impulso nervoso.

A carência deste mineral pode gerar uma atrofia muscular, osteoporose e problemas de cicatrização.

O manganês é parte constituinte de diversas enzimas e atua como ativador de outras tantas. Entre outras ações, funciona como antioxidante, ativa enzimas que participam do metabolismo hepático dos carboidratos, aminoácidos e colesterol, e colabora na formação da cartilagem e ossos.

A distribuição do manganês é grande nos tecidos e líquidos do organismo. O papel metabólico do manganês é considerável, pois ativa numerosas enzimas implicadas na síntese do tecido conjuntivo, na regulação da glicose e na proteção das células contra os radicais livres.

O manganês é reparador da cartilagem através da ativação de uma enzima vital aos condrócitos (Células que formam a cartilagem articular). O manganês melhora a viscoelasticidade do líquido sinovial e da ativação e resistência às pressões dos sinoviócitos (células do líquido sinovial).

A vitamina C é um potente antioxidante e estimulante imune vital para a proteção das articulações. Também tem poderosos efeitos antiinflamatórios.

Uma pesquisa realizada por cientistas da Universidade Monash, na Austrália, mostrou que uma alimentação rica em frutas com vitamina C pode combater a artrose.

Os estudos foram feitos durante dez anos com 293 homens saudáveis e com idades acima de 50 anos. Os resultados mostraram que aqueles que ingeriram frutas com grandes quantidades desta vitamina, apresentaram menor risco de desenvolver a artrose no joelho.

As últimas pesquisas sobre o papel do silício no organismo descobriram que este elemento se encontra em vários tecidos no organismo: na pele, nas unhas, no esmalte dos dentes, nas cartilagens, nos ligamentos e nos ossos.

O silício estimula nestes tecidos a regeneração das fibras de colágeno e elastina, portanto ele é um elemento indispensável para a reconstrução e regeneração do tecido articular, sem silício não há síntese de fibras de colágeno ou elastina e saúde articular pode ser comprometida.

Resultados de um estudo, publicado no Journal Bone Mineral Metabolism, demonstraram que a suplementação com silício demonstrou melhorar a densidade, o conteúdo mineral e o colágeno do tecido ósseo, bem como as propriedades mecânicas desse tecido. É de fato sugerido que a remodelagem do osso subcondrial tem função na progressão da artrose. Sendo assim, os produtos que agem sobre os ossos podem ser potencialmente ativos na artrose.

O cálcio é o segundo mineral mais abundante do corpo humano, e em sua maioria está concentrado nos nossos ossos e dentes.

Além de manter ossos e dentes fortes, outras funções do cálcio são: ajuda no metabolismo do ferro; alívio de insônia; diminui o risco de fraturas; importante função no sistema nervoso; ajuda na manutenção de peso, e diminui o risco de câncer de cólon.

O magnésio é outro mineral muito importante no controle da artrose, é necessário para a absorção de cálcio, fósforo, potássio e sódio, além de ser indispensável para o metabolismo de vitamina C.

O magnésio inibe a calcificação patológica que pode ocorrer na artrose (osteofitose) e é muito importante na manutenção do metabolismo das articulações, pois é fundamental para a formação do colágeno em nosso organismo, responsável por mais de 400 funções enzimáticas..

O fósforo é um mineral vital para as funções básicas do organismo. O seu principal papel, em conjunto com o cálcio, está na formação e na manutenção dos ossos e dentes.

O cálcio e o fósforo são considerados conjuntamente porque constituem a maior parte dos minerais dos ossos. Estão intimamente relacionados e uma deficiência ou excesso de um irá interferir na utilização do outro.

O fósforo é responsável pela manutenção do PH sanguíneo e dos fluidos corporais, além de estar fortemente envolvido na força muscular e manutenção do peso.

O colágeno, principalmente o hidrolisado tipo II, é o principal elemento que confere resistência à cartilagem articular e está presente em vários tecidos do corpo.

A suplementação de colágeno hidrolisado tipo II pode contribuir para melhorar a dor e aumentar a mobilidade e a função articular. A suplementação com colágeno pode reduzir a administração de analgésicos em pacientes com artrose moderada.

Recentemente um estudo publicado por pesquisadores de Montreal no Canadá, mostrou a importância da suplementação com colágeno tipo II em pacientes com artrose.

Os pesquisadores avaliaram a quantidade de enzimas inflamatórias e o colágeno presente em cartilagens e concluíram que na artrose a quantidade de colágeno diminui, ao passo em que as enzimas inflamatórias aumentam.

Para facilitar a absorção e a biodisponibilidade orgânica, deve optar-se por suplementos nutricionais que incluam na sua composição o colágeno hidrolisado tipo II.

Referências:

Perea S. Nutritional management of osteoarthritis. Compend Contin Educ Vet. 2012 May;34(5):E4. Review.

Rosenbaum CC, O’ Mathúna DP, Chavez M, Shields K. Antioxidants and antiinflammatory dietary supplements for osteoarthritis and rheumatoid arthritis. Altern Ther Health Med. 2010 Mar-Apr;16(2):32-40. Review.

Zhang W, Moskowitz RW, Nuki G, et al. OARSI rec¬ommendations for the management of hip and knee osteoarthritis, Part III. Changes in evidence following systematic cumulative update of research published through January 2009. Osteoarthritis Cartilage. 2010;18:476-499.

Dejica VM, Mort JS, Laverty S, Antoniou J, Zukor DJ, Tanzer M, Poole AR. Increased type II collagen cleavage by cathepsin K and collagenase activities with aging and osteoarthritis in human articular cartilage. Arthritis Res Ther. 2012 May 14;14(3):R113.

 


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: